Sendo um Programa de referência na Amazônia, durante o período de 2012 a 2014 celebramos cooperações acadêmicas e institucionais com Programas de nacional e internacional que solidificam o programa e ressaltam a capacidade da equipe em captar recursos, bem como a importância no cenário da geografia brasileira.

Por meio do Edital PROCAD-Novas Fronteiras, o Programa estabeleceu no período de 2009 a 2013 cooperação recursos compartilhados com a Universidade Estadual Paulista (UNESP) de Presidente Prudente e Universidade Federal Fluminense (UFF); e o Projeto-PROCAD-Casadinho, com recursos oriundos do convênio com o Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana, da Universidade de São Paulo (USP). O projeto intitula-se ORGANIZAÇÃO DO TERRITÓRIO, RECURSOS NATURAIS E DESENVOLVIMENTO REGIONAL NA AMAZÔNIA. Foi coordenado por três professores, pelo PPGEO/UFPA, a professora Janete Marília Gentil Coimbra de Oliveira, a professora Ester Limonad, pelo Programa de Pós-graduação em Geografia da Universidade Federal Fluminense e o professor Antônio Cezar Leal, pela Universidade Estadual Paulista-Campus de Presidente Prudente. A equipe do projeto foi composta por professores do PPGEO/UFPA – João Santos Nahum, João Márcio Palheta da Silva, Carlos Alexandre Leão Bordalo, Carmena Ferreira de França, Márcia Aparecida da Silva Pimentel; do PPGEO/UFF- Jorge Luiz Barbosa, Rogério Haesbaert da Costa, Sandra Baptista da Cunha, Marcio Piñon de Oliveira; e do PPGEO/UNESP/PP- Antônio Thomaz Júnior, Eliseu Savério Spósito, Messias Modesto dos Passos. 

Um dos objetivos desta pesquisa conjunta é estabelecer grupos de pesquisa vinculados às linhas existentes no PPGEO/UFPA. Estes grupos serão compostos por docentes e discentes das três IFES aqui envolvidas, promovendo, assim, a consolidação das linhas atuais de pesquisa, bem como, estudando suas reformulações ou mesmo a criação de novas linhas.

Assim, o projeto atende aos objetivos do PROCAD quanto à consolidação de novos programas, promovendo a interação científico-acadêmica, apoiando o desenvolvimento de projetos conjuntos visando a aceleração de estudos e pesquisas na região Amazônica. Também responde às orientações contidas na Avaliação Trienal da Capes de 2007, que reforçam a necessidade de consolidação do programa, melhorando sua conceituação. Por fim, este Projeto de Cooperação Acadêmica permitirá não somente a consolidação do Mestrado em Geografia, como também deverá contribuir, em médio prazo, para a implantação do Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFPA.

A cooperação objetivava: a) - consolidar o Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFPA; b) - promover integração entre docentes e discentes dos mestrados da UFPA, UFF e UNESP/Presidente Prudente; c) - fortalecer linhas de pesquisa do PPGEO; d) - formar grupos de pesquisa constituídos por docentes e discentes das instituições conveniadas; e) - contribuir para a criação do Curso de Doutorado do PPGEO. 

Durante esse Procad enviamos seis discentes para realizem mestrado sanduíche na Universidade Federal Fluminense e seis para Universidade Estadual Paulista, Campus de Presidente Prudente. Além dos quais nossos pesquisadores anualmente realizaram missões de pesquisa nessas Instituições, momento onde reuniam-se com grupos de pesquisa, compartilhavam disciplinas, ministravam minicursos, proferiam palestras e efetivavam trabalho de campo. Igualmente recebemos pesquisadores dessas Universidades para realizem no PPGEO as missões de pesquisa.

Dentre os frutos desta cooperação acadêmica e institucional destacamos a realização do V Simpósio Internacional e VI Simpósio Nacional de Geografia Agrária, realizado em outubro de 2011. Reunimos mais de 2000 mil pessoas de vários estados e países, representantes da sociedade civil organizada e do poder público. Momento onde o Programa reafirma seu papel de protagonista proativo na proposição ao debate de temas tão caros à sociedade amazônica. O Simpósio Internacional e Nacional de Geografia Agrária (SINGA) se constituiu em espaço acadêmico e institucional onde a universidade, a sociedade civil e os movimentos sociais se encontram para debater assuntos tão caros, a geografia agrária. Nele imperou o diálogo, a ação comunicativa, a preocupação em construir um conhecimento prudente para uma vida decente, socialmente comprometido com os segmentos sociais historicamente silenciados e invisibilizados, cujo modo de vida é constantemente abalado por ofensivas intensas das múltiplas faces do capital, que difunde por todos os quadrantes um só padrão societal. Campesinato, conflitos por terra, expansão do agronegócio, regularização fundiária, educação do campo, segurança alimentar, política de estado para o campo, dentre outros, são temas debatidos, proporcionando a todos a sensação de que é possível construirmos outra dinâmica territorial no campo, presidida, sustentada e estruturada de acordo com aqueles que usam a terra para produzir alimento e, portanto, realizar sua função natural e social.

Por meio do Edital PROCAD/CASADINHO 2012, desenvolve o projeto AMAZONIA E A COMPREENSAO GEOGRAFICA DO ESPAÇO BRASILEIRO: diversidade territorial, políticas públicas e novas configurações espaciais. A proposta estabelece cooperação entre o Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Pará, PPGEO-UFPA, na condição de Programa não consolidado e o Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana da Universidade de São Paulo, na condição de Programa consolidado. A Cooperação tem por objetivo geral fortalecer e consolidar o PPGEO-UFPA por meio da cooperação entre os grupos de pesquisa do referido programa e do PPGH-USP. Como objetivos específicos, destacam-se a promoção da interação científico-acadêmica entre instituições da região Amazônica e do Sudeste do país, constituindo uma rede de cooperação e promovendo a mobilização de docentes - orientadores e de estudantes de pós-graduação e iniciação científica entre os grupos de pesquisa envolvidos; o estimulo à produção técnico-científica conjunta dos grupos de pesquisa, através da publicação de artigos técnico-científicos em revistas nacionais reconhecidas e internacionais indexadas, como resultado do trabalho dos grupos de pesquisas envolvidos; a promoção da integração de cursos de pós-graduação e dos temas de pesquisas, numa interação contínua de formação de pessoal e de produção científica; a análise de em que medida a Amazônia brasileira é reveladora, na atualidade, de processos socioespaciais mais amplos, em curso no Brasil e no mundo; a análise da forma como tem atuado o Estado brasileiro, no período atual, no sentido da produção do espaço regional amazônico, especialmente no que diz respeito ao Pará, no sentido de identificar quais as novas configurações espaciais resultantes desses processos; o subsídio ao Estado na elaboração de políticas públicas direcionadas ao ordenamento territorial e à gestão socioambiental nas diferentes escalas de poder na Amazônia. Os procedimentos para o alcance destes objetivos baseiam-se na implementação dos mecanismos de articulação, quais sejam, as missões de pesquisa e docência dos docentes do PPGEO-UFPA e PPGH-USP. A equipe é composta pelos professores do PPGEO/UFPA- professora coordenadora Maria Goretti da Costa Tavares, professora vice-coordenadora Cristina do Socorro Fernandes de Senna, professor Saint-Clair Cordeiro da Trindade, professor Sérgio Cardoso de Moraes; e professores do Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana da USP, professora coordenadora Rita Ariza Cruz , professora Valéria de Marcos, professora Sandra Lecioni, professora Marta Medeiros, professor Wagner Ribeiro, professor Ariovaldo Oliveira. Essa equipe realiza missões de pesquisa consistindo, frequentemente, em reuniões com grupos de pesquisa, ministram minicursos, palestras e compõe bancas de defesa de mestrado e doutorado. Além destes pesquisadores, temos os discentes de graduação na modalidade iniciação científica e de mestrado e doutorado, que realizam missões de estudo, com vistas a troca de experiências entre ambientes e culturas acadêmicas distintas.

Como fruto deste PROCAD podemos elencar a realização do I Congresso de Geografia Agrária Amazônica: dinâmicas e conflitos territoriais no espaço agrário amazônico. Novamente o PPPGEO propõe uma pauta de debate no campo acadêmico, institucional e político, tendo como eixo estruturador a crítica séria e responsável dos usos e abusos do território pelo capital. As mesas e os temas dos espaços de diálogo ressaltam a importância científica e política deste Congresso. Na primeira mesa Diálogos entre geografia os estudos rurais: teorias, métodos, trajetórias e perspectivas objetiva-se situar a geografia no interior dos estudos agrários desenvolvidos pela economia, história, sociologia, antropologia, dentre outras, que procuram entender a constituição do campo e seu papel na região. Na mesa Conflitos socioambientais na Amazônia: terra, água e floresta enfatizamos que a constituição desse campo dá-se sob o signo das disputas pelo uso de terra, água e floresta. Conflitos que se manifestam nas formas de apropriação do saber local, como debateremos na mesa Saberes/Fazeres Tradicionais, Biopirataria e Patentes na Amazônia. Saber local construído e compartilhado pelos diversos modos de vida da região, objeto de debate da mesa Modo de vida, identidade e campesinato na Amazônia. Modos de vida ameaçados pela expansão do capital, assim temos o tema Dinâmicas e conflitos territoriais no espaço agrário amazônico: atores, conflitos e processos focando situações recente do espaço agrário amazônico.

Em novembro de 2014 o PPGEO-UFPA estabeleceu cooperação institucional com a Universidade de Cabo Verde. Nesse mês três professores realizaram missão de cinco dias na capital de Cabo Verde – Praia, para o reconhecimento das atividades acadêmicas desenvolvidas na Universidade de Cabo Verde (UniCV). Durante esta visita dos professores do PPGEO, foram realizadas reuniões com professores e diretores e a reitoria da instituição. Essas reuniões foram em torno da formação de convênios e parcerias entre a Uni-CV e o PPGEO, e teve como foco principal a discussão sobre a Linha de Pesquisa do PPGEO Ordenamento do Território, área a constituir a base para a extensão da parceria da UFPA com a Uni-CV, com foco para a discussão da Segurança Pública, que é a demanda do atual mestrado daquela universidade pública cabo-verdiana, cuja realização tem contado e continua a contar com o forte apoio da UFPA. Nessas reuniões os pesquisadores do PPGEO buscaram diversas maneiras de firmar parcerias durante a visita a Cabo Verde. Entre elas, o intercâmbio de professores, a abertura de vagas para que alunos daquele país africano possam cursar Mestrado em Geografia na UFPA, a publicação conjunta de artigos e livros, entre outras, sempre objetivando a promoção de uma troca de relações entre as universidades. A missão com professores de Geografia foi essencial para criar uma possibilidade real de ampliar a parceria com a Uni-CV, em ordenamento de território, permitindo a percepção de similaridades de problemas nessa área, entre a cidade de Belém e a capital de Cabo Verde, Praia, gerando troca de conhecimento. Além disso, busca contribuir para fortalecer as relações com a Polícia Nacional de Cabo Verde, cujos agentes foram mestrandos em Segurança Pública da UFPA, que estão interessados na continuidade de formação na área.  

Por meio de Edital da Capes para Cooperação Transnacional, Concurso dos Acordos Bilaterais, o Programa celebrou acordo entre Universidade de Coimbra, representada pelo professor Norberto Nuno Pinto dos Santos, e Universidade Federal do Pará, representada pela professora Maria Goretti da Costa Tavares, tem por base a o projeto de pesquisa Património e Turismo na Transformação de Espaços Marginais em Portugal e no Brasil. O projeto tem duração de três anos a partir de 2015 e investiga as oportunidades de desenvolvimento e de reversão das situações de desvantagem de espaços marginais, segundo o modelo de desenvolvimento dominante, afetadas por pobreza, exclusão, descriminação e isolamento a partir do uso do patrimônio e do turismo. A marginalidade sócio-espacial exprime-se a diversas escalas em vários tipos de espaços, das regiões rurais remotas e territórios indígenas a áreas críticas dentro das metrópoles dinâmicas centros históricos envelhecidos, áreas, desindustrializadas, subúrbios pobres. Com base em estudos de caso que recobrem estas várias categorias de espaços nos territórios português e brasileiro, cada qual com recursos e problemas   específicos, discutem-se os pontos positivos e negativos da mercadorização do patrimônio e do fomento do turismo e averígua-se até que ponto e em que condições estas podem ser soluções para a revitalização socioeconómica e a reintegração cultural e geográfica destes espaços.

O Grupo de Estudo Desenvolvimento e Dinâmicas Territoriais na Amazônia – GEDTAM, coordenado pelo professor José Antônio Herrera, executa projetos de pesquisa em parcerias com instituições, nacionais e internacionais, e financiados pelo CNPq e FAPESPA. Destacamos os projetos com as respectivas parcerias em suas execuções. As múltiplas transformações no município de Altamira ocasionadas pelo empreendimento hidrelétrico de Belo Monte, projeto financiado pelo CNPQ via edital Ciências Humanas de 2014, prazo março de 2016. Tem como parceiro o Núcleo de Estudos de Populações – NEPO da Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP.

Cartografia social da violência e insegurança pública nos municípios diretamente afetados pelo empreendimento pelo Monte no estado do Pará, projeto financiado pela FAPESPA via edital Temático 08 de 2014, prazo até agosto de 2016. Tem como parceiro o Laboratório de Geoecologia e Planejamento Ambiental da Universidade Federal do Ceará - UFC.

Hidrelétrica Belo Monte e os impactos ambientais, sociais, culturais e econômicos nos municípios Vitória do Xingu e Senador José Porfírio, estado do Pará, projeto financiado pela FAPESPA via edital Temático 05 de 2014, prazo até agosto de 2016. Tem como parceiro o Laboratório de Energia e Ambiente - Faculdade de Tecnologia da Michigan State University (EUA).

Produção do espaço agrário na microrregião de Altamira - Pará: estudo sobre a desterritorialização da produção agropecuária familiar e comunidades indígenas (Arara e Xipaya) face ao empreendimento Belo Monte, projeto financiado pelo CNPQ via edital Universal de 2014, prazo março de 2017. Tem como parceiro a Universidade Federal do Amazonas / Faculdade De Geografia / Programa de Pós-Graduação em Geografia – PPGEOG – Manaus; Brown University (EUA) e Universität Freiburg (Alemanha).

No último triênio quatro docentes do PPGEO tiveram propostas de pesquisa em cooperação internacional aprovadas no edital PACI, iniciativa da PROPESP/UFPA, para fomentar o intercâmbio internacional dos docentes da Instituição com programas no exterior. São os seguintes docentes contemplados no referido edital: Prof. Dr. Christian Nunes da Silva e Prof. Dr. João Marcio Palheta da Silva, para Cabo Verde; Prof. Dr. Carlos Alexandre Leão Bordalo, para Universidade de Coimbra/Portugal; Profa. Dra. Maria Goretti Tavares, para a Universidade do Porto/Portugal; o professor Sérgio Cardoso de Moraes em missão internacional constrói intercâmbio com a Universidade Eduardo Mondlane (Moçambique) com base em projeto na área ambiental; o professor Gilberto de Miranda Rocha, representando a UFPA, estabeleceu Intercâmbio com Leeds Metropolitan University(Inglaterra); Universidad Autônoma de Barcelona(Espanha); Universita de Roma Tre (Itália) e Universidade Estadual do Amazonas dentro do projeto AguaSociAL Project.

O Programa está em vias de formalizar um convênio de cooperação internacional com a Michigan State University, com o objetivo precípuo de contar com pesquisadores docentes e discentes visitantes; possibilitar a ida e a vinda de docentes e discentes do Programa aos Estados Unidos para a realização de cursos em estágios-sanduíches, estágios de pós-doutoramento, entre outras atividades. 

O PPGEO integra o Programa de Alianças para a Educação e a Capacitação – PAEC-OEA-GCUB: que consiste em receber estudantes dos países membros da OEA nas universidades brasileiras para a realização de cursos completos de pós-graduação stricto-senso, mestrados e doutorados.

As atividades aqui descritas relacionam-se às parcerias institucionais estabelecidas pelo Programa em nível regional, nacional e internacional. Nos três últimos triênios, é notório o diálogo dos pesquisadores com outros centros de pesquisa, o que tem favorecido o intercâmbio nacional e internacional do PPGEO-UFPA e efetivamente minimiza a distância geográfica entre a Região Norte e outros centros. 

PARCEIROS